sábado, 30 de abril de 2016

Amor de Verão

Sabe aqueles amores de verão? Que dura exatamente o tempo que dura o verão? Aquele amor de junho e julho, que geralmente acontece nas férias?
Eu já tinha lido muito sobre esses amores em livros; há.. aquele amor devastador, devorador, tentador, que consome toda a sua energia. Aquela coisa totalmente louca e confusa, mas que faz um bem danado! Mas tão intenso que te faz perder o ar só de pensar! 
Mas diferente dos livros, ( o que eles parecem ter esquecido de mencionar) que sempre acaba tudo bem, geralmente quando existe o término, a dor é tão devastadora quanto o que você viveu! 
Mas que quando acaba, parece que você jamais vai conseguir se levantar de novo!
Aquele que quando acaba destrói seu coração de uma forma, que até respirar dói. Que te derruba de uma forma que você sabe que jamais vai se recuperar de novo! 
Pois é, eu tive um desses.
Aquela coisa louca, aquele sentimento surreal. Que muda sua vida de uma forma inexplicável, que te muda também de uma forma que você sabe que jamais será a mesma pessoa!
O meu amor de verão foi exatamente em julho, dia 2 pra ser exata, quando do nada chegou, entrou na minha vida, e virou tudo de pernas pro alto! 
Me sentia viva como nunca tinha me sentindo. Era um sentimento tão real, como respirar. Foram os 4 meses mais loucos é mais intensos que eu já tive nessa vida!
E quando acabou, acabou comigo também! Achei que jamais conseguiria me levantar. 
A dor era extremamente grande! Daquela que faz seu coração em milhares de pedaços.
Sei que muita coisa mudou, e eu já não sou mais a mesma. E também tenho certeza que não quero outro amor/paixão de verão; um só foi o suficiente pra saber que se você não tiver cabeça uma coisa dessas acaba com a sua vida, te destrói demais!
Se eu me arrependo?
De forma alguma, faria tudo de novo sem nem pensar duas vezes!
Mas me apaixonar de novo daquela forma vai ser praticamente impossível.
Prefiro um amor mais tranquilo, pelo menos a dor é menor quando acaba.
Se eu superei ? Talvez nunca supere!
Se ainda temos contato? Infelizmente não. 
Era um risco desde o começo, e eu sabia o que aconteceria e resolvi arriscar, e quando percebi que estava apaixonada, talvez tenha percebido tarde demais.
Já não havia mais o que fazer. Fui sincera e abri meu coração, e vi meus sentimentos sendo ignorados, mas não culpo ninguém por isso, somente eu mesma, por não ter controlado ou pelo menos ter tentado freiar tudo aquilo!
Mas acredito que nada é por acaso, e se aconteceu de algum aprendizado serviu, e eu vou vivendo, me reconstruindo, me refazendo. 


Partilhar

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Vaza, você só faz merda!




Desilusões, corações partidos, isso acontece com todo mundo e a todo instante.


Aquela sensação de ter um buraco no estomago, de sentir o coração doendo de cada lembrança puxar algo na alma; lembranças que quando você lembra,prende a respiração, e se da conta que até respirar dói.

Mas diferente dos filmes que assistimos por aí, nada se acerta, e por mais que se acerte, sempre vai existir aquela sensação de algo quebrado.
Quando quebram seu coração uma vez, parece que nunca mais vai ser possível juntar todos os pedaços, e sempre vai existir o medo de entregar ele novamente, seja pra quem for.

E você pede a Deus todos os dias que ELE te de forças pra se reconstruir, pra juntar os cacos e seguir em frente. Tem dias que são melhores que os outros, mas a recaída sempre vem.

E você tenta achar motivos pra sorrir, pra agir normalmente. Na frente das pessoas mostra-se forte, tenta mostrar que é passado e que está tudo bem.
Mas só você sabe o quanto ensaiou antes de sair de casa em frente o espelho, um sorriso, aquele sorriso que se esforçou a noite inteira pra manter no rosto.
Enquanto seus lábios mostram um sorriso, só você sabe o quanto seu coração chora por dentro.

Quando você pega seu carro e se da conta que todas as músicas que tem ali dentro são aquelas que você ouvia e associou aquela pessoa. E sente seu peito rasgando, e é uma dor que você não consegue descrever.

Mas você sabe, sabe que precisa esquecer, que precisa seguir em frente. E o mais importante, que vai passar.. Não importa quanto tempo demore, uma hora você supera e tudo passa.

No meu caso, eu não culpo que me machucou, eu sabia na robava que estava me metendo quando aceitei entrar nela, sabia os riscos que corria.
Sei que ao final de tudo isso, tudo volta ao seu devido lugar, e tudo isso vai se transformar em aprendizado, e toda vez que eu me lembrar de algo associado a tudo isso, eu vou sorrir, vou sorrir com carinho e gratidão, porque nem tudo foi ruim.

Enquanto isso, vou recolocando a minha vida nos trilhos novamente, pegando meus pedaços do chão, e construindo novamente os objetivos que perdi ao longo dessa confusão toda!

E torcer pra esse cupido cuzão ficar o mais longe possível de mim, porque ele só faz merda!





Partilhar